Rosane Maria Souza e Silva (UFBA)

Título: PSICOLOGIA E POLÍTICA DURANTE A DITADURA MILITAR: DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO, ATUAÇÃO PROFISSIONAL E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA DOS PSICÓLOGOS DA BAHIA (1964-1985)
 
Discente: Rosane Maria Souza e Silva
Orientador: Amilcar Baiardi
Coorientadora:Fernanda Rebelo Pinto
Debatedor(a):A definir
 
Resumo:Este projeto tem como objeto a análise do desenvolvimento científico e institucional da psicologia na Bahia durante o período da ditadura militar (1964 a 1984). A proposta surge visando preencher uma lacuna na historiografia da ciência psicológica na Bahia e o resgate de parte da memória do período ditatorial no Brasil, ainda inconcluso. A presente proposta ampara-se na seguinte questão de pesquisa e respectivos desdobramentos: qual a influência do regime militar no processo de estruturação da psicologia, enquanto ciência e profissão, na Bahia e o posicionamento e participação política dos psicólogos baianos frente aos imperativos ditatoriais do regime vigente entre os anos de 1964 e 1985? Como se deu o processo de criação, estruturação curricular e atuação docente do curso de graduação em psicologia na Universidade Federal da Bahia e como atuaram no meio acadêmico aqueles que apoiaram o golpe de 1964, os que foram indiferentes e aqueles que resistiram ao regime militar? Quais foram as estratégias de instalação e gestão do Conselho Regional de Psicologia na Bahia no que se refere ao contexto histórico, à consecução de espaços formais para a profissão, às lutas coletivas e às preocupações com a formação em Psicologia e quais as práticas dessa entidade de classe da psicologia na Bahia durante o período da ditadura militar? De que modo os psicólogos baianos foram influenciados, participaram e se posicionaram politicamente, frente à política repressora e autoritária de Estado da época? Situado no campo da história política do período republicano brasileiro e fundamentado na História Social das Ciências, optou-se na condução metodológica do estudo em questão, pelo uso da abordagem qualitativa, privilegiando os documentos históricos como fonte de investigação.