Francisco de Assis Pinto da Silva (UFBA)

Título: A RAZÃO MUNDANIZADA - CIÊNCIA E TEORIAS DA CIÊNCIA NAS ENTRELINHAS DA LITERATURA DE MASSAS: O CASO DOS MÉTODOS INVESTIGATIVOS NOS ROMANCES POLICIAIS OU EPISTEMOLOGIA E INDÚSTRIA CULTURAL
 
Discente: Francisco de Assis Pinto da Silva
Orientadora: Fernanda Rebelo Pinto
Debatedor(a): A definir
 
Resumo: Projeto que visa o Doutoramento em “Ensino, História e Filosofia da Ciência” (UEFS/UFBA), 2017/1. O autor propõe ser possível identificar um diálogo entre cultura erudita e cultura de massas, a primeira na forma de teorias da ciência e a segunda na forma de narrativas de ficção policial. O objeto do estudo abrange o positivismo e o pós moderno. O trabalho tem por objetivo identificar em seis romances policiais, representativos das duas grandes vertentes do gênero (literatura do tipo enigma e literatura do tipo noir), elementos essenciais de teorias da ciência que tenham sido produzidas concomitantemente à produção dessas obras de ficção. Método, conhecimento, justificação, verdade, dentre outros, são alguns dos componentes do debate epistemológico que serão buscados dentro dessas narrativas. A técnica utilizada é a análise textual na tradição marxiana (secundado pela História Social Inglesa, Escola de Frankfurt dentre outras afinadas com a tradição marxista). Seis escritores de ficção são investigados: Edgar A. Poe, Arthur C. Doyle, Agatha Christie, Dashiell Hammett, PatriciaHighsmith e Umberto Eco. Três epistemológos são investigados: um ligado ao modo moderno de pensar a ciência (positivismo), um epistemólogo ligado à “transição” do moderno para o pós moderno e um epistemólogo ligado ao pós moderno. Encontrar equivalências, convergências (e divergências) entre esses duas modalidades de discursos, ficcional e epistemológica, acerca da busca do conhecimento é o propósito desse estudo.